Flexible Home Layout

ECONOMIA

CUITEGI

FOTOS

EMPREGOS

Video

POLITICA

Formação do bloco PSB, PPS, PV e SD pode atrapalhar planos do PSB paraibano em 2016


A formação do bloco PSB, PPS, PV e Solidariedade poderá atrapalhar planos do PSB paraibano. Nesta terça-feira (02), os presidentes nacionais dessa quatro legendas se reunião em Brasília para continuar as conversas sobre a formação de um bloco com os quatro partidos. De acordo com o presidente do Solidariedade, Paulinho da Força (SDD-SP), a expectativa é de que a aliança possa ser formalizada já nos próximos dias. “Pode sair nesta semana”, diz o deputado.

Um dos principais objetivos do bloco seria a indicação de candidatos próprios em todos os municípios para disputar as eleições 2016, o que pode atrapalhar os planos do PSB paraibano que tem como aliados o PMDB e o PT. 

Caso seja concretizado a formação do bloco, pode atrapalhar a união do PSB que estuda a possibilidade de indicar o vice-prefeito na chapa do PMDB de Campina Grande em 2016, e se unir com o PT do atual prefeito da capital Luciano Cartaxo. Por conta do sucesso da aliança que resultou na reeleição do governador Ricardo Coutinho o PSB estaria apto a indicar o candidato a vice na chapa peemedebsita a ser formada para tentar retomar o comando da PMCG.

Nos bastidores da política paraibana, é especulado que a ex-candidata à prefeitura da capital e deputada estadual eleita Estela Bezerra (PSB) pode vir a querer disputar novamente o cargo. O PPS via seu presidente Nonato Bandeira que é vice-prefeito anda em choque com a gestão de Cartaxo.

Na cidade de São Paulo, por exemplo, um dos nomes citados pelo presidente do Solidariedade é o da senadora e ex-prefeita Marta Suplicy (PT-SP), que tem recebido convites para trocar o PT por uma das siglas do grupo.

O bloco, no entanto, não valerá para a disputa pela presidência da Casa – uma vez que o PSB aposta no nome de Júlio Delgado (PSB-MG) e o Solidariedade já formalizou apoio a Eduardo Cunha (PMDB-RJ). “Essa questão da eleição da Câmara não tinha como entrar no acordo, porque não tínhamos condição de mudar os apoios que já foram definidos”, explica Paulinho da Força. As informações foram repercutidas na coluna nacional Poder Online do IG, assinada pela jornalista Clarissa Oliveira.

Fonte: Redação do PB Agora
3
0 Comentários

Postar um comentário