Flexible Home Layout

ECONOMIA

CUITEGI

FOTOS

EMPREGOS

Video

POLITICA



No meio partidário sempre surgem pessoas com discurso de apresentar uma" nova força" ou" 3ª opção" para disputar com grupos hegemônicos o poder político. O interessante é que em países com regimes democráticos mais maduros sempre existe  a polarização entre duas forças tradicionais. Então, por que em uma país, em um estado ou em uma região como a nossa aconteceria este processo de mudança. É utopia!

No Brasil desde o início do período republica até hoje são sempre os mesmos grupos que governam o país a nível federal. No pleito nacional de 2014 surgiu nas pesquisas a possibilidade da 3ª opção vencer com Marina Silva, no entanto, presenciamos a disputa entre os dos principais grupos políticos nacionais, representados pelo PT e pelo PSDB.  Na Paraíba nenhum nome novo ou 3º opção chegou ao poder vencendo os detentores do poder ou principais adversários ao mesmo tempo. A polarização da disputa eleitoral ficou entre o atual governador Ricardo Coutinho(PSB), que chegou ao poder a primeira vez com o apoio do seu atual adversário Cássio Cunha Lima( PSDB),  e, neste pleito o atual governador venceu devido ao apoio do PMDB. Portanto, uma força não surge a nível estadual sem o apoio de outro grupo tradicional.

Na nossa região nos últimos dias  vem sendo cogitada a 3ª opção ou nova força em Guarabira para o pleito municipal em 2016. Será possível? Não sei, mas, o cenário histórico, cultural e social não favorecem para o êxito desta "3ª força" contra os TOSCANOS e os PAULINOS. É a mesma situação do município de Alagoinha, onde só vencem os apoiados pela família Beltrão ou que represente à antiga ARENA, no próximo pleito deverá vim um parente da atual prefeita para disputar pela situação contra um nome do grupo da oposição tradicional e uma 3ª opção não teria como obter vitória, observando toda estrutura política e cultural do município. Em Alagoa Grande,  a disputa será sempre entre os indicados pelo atual prefeito Bôda e o deputado estadual João Bosco. E assim podemos constatar disputas semelhantes em outros municípios.

A polarização entre forças tradicionais não é um atraso ou evolução da democracia, mas, o resultado da estrutura social e cultural predominante nas estruturas democráticas que vão desde um pequeno município brasileiro até a disputa eleitoral de nível nacional. Repito, a 3ª opção é UTOPIA!
3
0 Comentários

Postar um comentário