Flexible Home Layout

ECONOMIA

CUITEGI

FOTOS

EMPREGOS

Video

POLITICA




O deputado estadual Gervásio Maia (PMDB) usou esta segunda-feira (31), para quebrar o silêncio, sobre sua ausência na convenção da Capital do seu partido e a quebra de acordo do deputado federal e presidente do diretório, Manoel Júnior que foi reconduzido ontem, neste evento para mais dois anos no comando da sigla em João Pessoa.


Gervásio em tom de desabafo revelou que foi excluído da legenda e muito magoado, lamentou todo o acontecido nos últimos meses até o "grande final" de ontem.


"Eu não sei responder porque fui excluído. Sempre segui rigorosamente as orientações quando tomadas pela maioria. Nunca joguei em duas pontas. E apesar de não querer criticar A, B, ou C, digo que não mereço ser tratado dessa forma. O estatuto foi rasgado e lamento muito. Digo tudo isso entristecido", desabafou.


O deputado citou sua fidelidade partidária e que sempre foi filiado ao PMDB, nunca pediu para sair e não fez nada de errado para merecer esse tratamento.


“É doloroso para uma pessoa que tem dedicado uma vida inteira a esse partido, ser tratado dessa maneira. O acordo não foi cumprido, e isso me magoa muito, dói”.


Gervásio Maia justificou sua ausência na Convenção porque não teve cara e nem clima para ir ao evento e ainda comentou o motivo alegado pelo presidente municipal Manoel Júnior para escanteá-lo.


“O acordo não foi cumprido porque eles alegaram que eu servia ao partido do Governador. Eu defendia a candidatura própria. As decisões são referendadas pela maioria e se fosse o caso, e o meu voto fosse divergente, não faria diferença. O argumento dele é muito frágil. Eu fui vetado. Fui chamado a não participar do evento. Com que cara eu iria chegar lá ontem. Para dizer que estava certo e que eles estavam errados.Eu não sei como vai ficar o futuro, mas o clima azedou e a corda esticou demais e partiu", declarou.


Perguntado se iria aceitar o resultado da convenção que reconduziu Manoel Júnior a presidência do PMDB, Gervásio disse que agora não pode fazer mais nada.

“Eu vou fazer o quê. Está feito. Eu vou desmanchar”, questionou o parlamentar.


Fonte: PB Agora
3
0 Comentários

Postar um comentário