Flexible Home Layout

ECONOMIA

CUITEGI

FOTOS

EMPREGOS

Video

POLITICA

 aesa

As cinco cidades onde mais choveu este ano na Paraíba estão localizadas no Sertão. De acordo com Agência Executiva de Gestão das Águas do Estado (Aesa), até esta quarta-feira (27), os maiores índices pluviométricos foram registrados nos municípios de Bom Jesus (316,1 mm), Catingueira (283,5 mm), São José da Lagoa Tapada 283,4, Cacimba de Areia (281 mm) e Emas (275,4 mm).

De acordo com a meteorologista Marle Bandeira, já choveu acima da média histórica em várias cidades sertanejas neste mês de janeiro. “Em muitos locais do semiárido a média gira em torno dos 100 milímetros. Este número é obtido com base nos registros das chuvas dos últimos 30 anos. No caso do município de Bom Jesus, por exemplo, tivemos um aumento de mais de 200%”, informou.

“Estas precipitações foram provocadas pelo fenômeno meteorológico chamado de Vórtice Ciclônico de Altos Níveis, o VCAN, como é mais conhecido. Ele costuma atuar com mais intensidade nos meses de dezembro e janeiro na região Nordeste”, acrescentou o meteorologista Lindemberg Lucena da Silva.

Na terça-feira (26), o sistema de monitoramento da Aesa detectou chuvas em 26 cidades paraibanas e, nesta quarta-feira, em apenas um município. Foi na cidade de Rio Tinto, na região do Litoral.

Aumento gradual – A expectativa dos meteorologistas é que a partir da próxima semana as chuvas aumentem de forma gradual no interior do estado, já que a estação chuvosa da região semiárida ocorre entre os meses de fevereiro e maio.

“A circulação dos ventos em médios e altos níveis da atmosfera continua contribuindo para a redução da nebulosidade. A tendência é que, na quinta-feira, o tempo permaneça com nebulosidade variável com possibilidade de ocorrência de chuvas em pontos isolados do Sertão”, acrescentou Marle Bandeira.

Açudes – Dos 124 reservatórios monitorados pelo Governo do Estado, 30 estão com mais de 20% do seu volume total, 36 têm menos 20% e 58 estão em situação crítica (com menos de 5% do volume total). A relação completa e o nível de cada reservatório estão disponíveis no site www.aesa.pb.gov.
3
0 Comentários

Postar um comentário