Flexible Home Layout

ECONOMIA

CUITEGI

FOTOS

EMPREGOS

Video

POLITICA



Atenção professores:

O MEC determinou a reformulação dos PCCRs do magistério da Educação Básica em todo o país.
Aqui na Paraíba, desde quarta-feira até hoje, os secretários de educação e seus assessores estão reunidos em Campina Grande, no Centro de Formação de professores, por blocos de municípios, para ouvirem as orientações do MEC.

Entre as inúmeras "sugestões", constam a abertura legal às OS (Organizações sociais), em processo de terceirização da gestão escolar, o corte de gratificações e o implantação do regime de produtividade para impulsionar a formação.

Todas estas questões ferem uma série de direitos dos professores, mas, a maioria ficará calada, vai engolir sem saber nem do que se trata. Pior: muitos estão apoiando este processo.

Até 2020, teremos uma outra educação, mas não teremos mais os direitos que lutamos décadas para conquistar.

Outra questão séria é a dedicação exclusiva. O discurso é de que todos os professores devem ter trabalhar apenas em uma única escola, com 40h/s, recebendo o valor do PSPN. Entretanto, o valor do
Piso é, no mínimo, 40% a menos em relação ao que recebe um professor com dois empregos.

A dedicação exclusiva é fundamental para uma educação de qualidade, mas o salário do professor precisa ser compatível e o valor do PSPN não é suficiente. Mais uma vez digo: os professores não demonstram ter força para atuar contra a terceirização da gestão escolar e o desmonte da já tão frágil carreira docente.

Mas o MEC já disse: Os municípios que não reformarem os PCCRs nestes termos não terão certos recursos para algumas de suas atividades.


Assis Souza Moura, professor da UFCG
3
8 Comentários

Postar um comentário

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Eva Duarte, leia o texto que vc vai ver que foi ação da presidente Dilma.

    ResponderExcluir
  3. Eva Duarte, leia o texto que vc vai ver que foi ação da presidente Dilma.

    ResponderExcluir
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eva Duarte, o ministério da educação nunca deixou de ser chamado de MEC mesmo com a separação da Cultura. O caso do PC RS dos professores foi colocado em uma das estratégias do PE que foi aprovado em 2014. Participei como coordenador do PME de Guarabira e umas das metas que trabalhei abordava este assunto. Espero que você agora possa compreender

      Excluir
    2. Eva Duarte, o ministério da educação nunca deixou de ser chamado de MEC mesmo com a separação da Cultura. O caso do PC RS dos professores foi colocado em uma das estratégias do PE que foi aprovado em 2014. Participei como coordenador do PME de Guarabira e umas das metas que trabalhei abordava este assunto. Espero que você agora possa compreender

      Excluir