Flexible Home Layout

ECONOMIA

CUITEGI

FOTOS

EMPREGOS

Video

POLITICA

Só Novas Eleições Presidenciais Restabelecerá a Democracia Brasileira*
Resultado de imagem para novas eleições
*Tárcio Teixeira
(Candidato ao Governo da Paraíba em 2014 e Presidente do PSOL/PB)

Do Nacional ao Local, um Golpe na Democracia e nos Direitos do Povo Brasileiro. Um golpe parlamentar impõe Temer, um dos políticos mais envolvido em denuncias de corrupção, na presidência do Brasil, não da República Brasileira, esta desaba em nossa frente sem a necessidade das armas dos Militares de 1964. 31 de agosto de 2016, um triste dia para democracia brasileira.
O PSOL nunca fez parte da gestão Lula e Dilma. Somos oposição desde o processo de construção do partido, quando parlamentares foram expulsos do PT por votar contra: a contrarreforma da previdência de Lula; Henrique Meireles (o mesmo de Temer) na Presidência do Banco Central; e Sarney (do PMDB de Temer) como Presidente do Congresso Nacional. Para o PSOL as alianças sem base programática, realizadas em nome da falsa governabilidade, já não era o caminho certo, a prova cabal vimos no dia de hoje.
Sempre fomos fortemente contra a política econômica do Governo Dilma, mas créditos suplementares e pedaladas não são atentados a constituição, não são crimes de responsabilidade; na pior das hipóteses deveria ser questionada a constitucionalidade de tais medidas, não um processo de impedimento e o desrespeito ao voto popular.
Sessenta Senadores atropelaram milhões de brasileiros/as e passaram um cheque em branco para o ilegítimo Temer impor uma agenda de ataques ao povo brasileiro. Segue a passos largos o processo de privatização das políticas públicas, de taxação dos serviços de saúde no SUS; de cobrança de mensalidade nas universidades públicas; de ampliação do conservadorismo e fortalecimento do machismo, racismo, homofobia e xenofobia; de ampliação do tempo para aposentadoria, em especial para as mulheres; de destruição da CLT; entre outros ataques decorrentes de uma agenda regressiva implementada por um impostor que não tem nada a perder.
A reestruturação da esquerda iniciada com a construção do PSOL, potencializada no pós mensalão, e a experiência dos levantes de junho/julho 2013, são centrais para compreender a necessidade de uma esquerda não aparelheda, de uma esquerda horizontalizada, independente, combativa e plural. Esse processo de articulação e reestruturação da esquerda é para além dos partidos políticos, a exemplo da Frente Povo Sem Medo e dos/as militantes que passaram a ter caráter organizativo após as ocupações do Ministério da Cultura e do SUS, da mesma forma a força das mulheres envolvidas nesse processo cumpre um papel fundamental na realidade atual.
Na atualidade as pessoas percebem claramente o impacto sofrido localmente em decorrência da imposição golpista. As consequências já estão visíveis nas eleições municipais. O PSOL dispara em importantes cidades, como Belém, Rio de Janeiro, São Paulo e Porto Alegre; e aparece com índices nunca alcançados em cidades como Recife, Natal e João Pessoa.
Ao pegar panfleto nas ruas as pessoas perguntam “de qual partido é?”, um salto histórico na consciência política; as pessoas pautam as coligações como nunca na história; reconhecem os golpistas presentes na chapa de Luciano Cartaxo e Cida Ramos, sabem que Wilson Filho e Manoel Junior são aliados de Temer e de Eduardo Cunha e, consequentemente, inimigos do povo. O crescimento de Victor Hugo nas pesquisas é parte importante desse momento histórico e um balanço popular do papel cumprido pelo PT nos últimos anos. A possibilidade concreta de João Pessoa ter os primeiros parlamentares do PSOL, vai no mesmo sentido. Também não fica de fora do balanço popular, a postura arrogante e ditatorial do Senador Cássio Cunha Lima, cassado por corrupção e defensor de Temer.
A resposta popular diante da imposição de um presidente ilegítimo sairá das ruas e das urnas. O PSOL será parte desse fronte em defesa da democracia e dos direitos sociais, trabalhistas e previdenciários. O povo deve decidir o seu destino. A democracia só será restabelecida em nosso país com novas eleições presidenciais.
Tárcio Teixeira
Candidato ao Governo da Paraíba pelo PSOL (2014)
Membro da Direção Nacional do PSOL (2015/2017)
Presidente do PSOL/PB (2015/2017)
Membro da Comissão Nacional de Ética do PSOL (2012/2015)
Ex Presidente Conselho Regional de Serviço Social da Paraíba (CRESS/PB- 2011/2016)
Oi - 87735730 / Tim - 96177517
Twitter: @tarcioteixeira
3
0 Comentários

Postar um comentário